sábado, dezembro 01, 2007

Desconstruindo frases feitas


Pensar enlouquece.
Mas de vez em quando chegamos a alguma conclusão.
Eis a minha última.
Não que seja uma conclusão com cara de ponto final.
Tem mais um jeitão de fim de capítulo

Questionamento do dia: A frase "é errando que se aprende" não seria apenas um consolo para lidarmos melhor com a dor causada pelo nosso erro? Uma maneira de dizermos que isto não poderia ser evitado, quando na verdade, poderia? O erro reforça o nosso conhecimento, faz com que reflitamos. A frase não deveria ser "errando se aprende"? A primeira versão dá a entender que só é possivel aprender através do erro, o que não é verdade. Usá-la desta maneira soa como desculpa para justificar nossa vontade de ir contra algo que talvez já fosse senso comum, ou já estivesse marcado na consciência individual como algo indesejado, inadequado, errado. Tentou-se ir contra. E aí, dizemos "é errando que se aprende", quando na verdade, se tivéssemos pensado um pouco, não teríamos errado. Em vez de dizermos "que droga, poderia ter evitado isto...", dizemos como se as coisas não pudessem ter se sucedido de outra maneira. Isto diminui o arrependimento. Este sim, ensina algo. Mas normalmente tentamos fugir dele, partindo da crença que o erro é inevitável.

Hmm...isto leva a:

crença - o erro é inevitável
frase - "é errando que se aprende"
conseqüência - redução da culpa e abreviação ou completa anulação do processo de arrependimento.

crença - o erro é evitável
frase - "errando se aprende"
conseqüência - percepção de que o erro poderia ter sido evitado, culpa por não tê-lo feito se houve a oportunidade de evitar e não o fez, processo de arrependimento completo (arrependimento é diferente de remorso: um constrói, o outro envenena). Este processo de arrependimento é marcante, ainda que seja curto. Gera novas entradas no conjunto de atitudes e reações do ser, que serão lidas e aplicadas em futuras situações semelhantes.


Logo, não é o erro que ensina. É o arrependimento. Mas por ser um processo doloroso tentamos abreviá-lo afirmando simplesmente que não poderíamos tê-lo evitado. O arrependimento só não deve existir quando nos faltava elementos para tomar a decisão correta, onde este elemento pode ser uma informação, uma pessoa ou uma habilidade que ainda não havíamos adquirido. Mas é preciso obter este elemento faltante para não caírmos no mesmo erro novamente.
Erramos para aprender. Mas apenas errar não faz com que aprendamos. Errar é apenas o início de um processo de aprendizado, abreviado precocemente quando há a crença de que nenhum erro poderia ser evitado.

3 comentários:

Anónimo disse...

a verdade é que um erro nunca se dá só, são poucas as vezes que erramos e ele não acarreta a outro erro, ou seu ,ou de outra pessoa...
infelizmente nos apoiamos no pensamento que esse é um erro que irá nos fazer aprender, quando na verdade provavelmente erraremos de novo, porque quando vivemos algo sempre pensamos que é novo...e ai mais uma vez não paramos para avaliar ...

perdoe aos que errei...

MarcoRosner disse...

Rosa,

Concordo com muito do que foi dito nesse post, mas queria fazer duas observacoes:

1 - Quando falo "'e errando que se aprende", me expresso mal, deveria estar falando a frase que voce expos: "errando se aprende".

2 - Porem, nao acredito que e o arrependimento que leva ao aprendizado. Pelo menos eu entendo que nao ha a "culpa por nao te-lo feito" e sim o entendimento que seria possivel evitar, mas nao foi feito, entao aprenda com isso para que o erro nao se repita. E o mesmo processo, so que nao acho que culpa seria uma palavra adequada. Culpa tem um significado mais forte, pesado, punitivo.

Errar PODE e DEVE ser um processo de aprendizado e nao um ato punitivo (punir sim, em casos que seja se faca necessario). Contudo, como relata as entrelinhas do seu texto, nao e e nem pode ser o unico .

Obs.: Desculpa a falta de acentos, mas o teclado esta desconfigurado.

Seus textos sempre muito complexos e corretos, adoro isso =D

Aceita uma conversa a beira mar sobre isso? =P

Leonardo disse...

olhe rosinha, eu gostei do texto, dos coments e td.. eu axo que o ato de arrepender leva-nos a um remorso. são diferentes, sim, mas ele leva ao outro. até porque, nós seres humanos (racionais idiotas capitalistas e imediatistas) temos um quê de perfeccionistas, uns mais, outros menos. Mas, em geral, pelas cobranças que o mundo nos impõe, nós buscamos sempre o melhor, o mais alto ou alta, o mais bonito ou bonita, sempre sempre. E quando o objetivo não é alcançado, o arrependimento sobressai em nossos pensamentos, e em caso de "poder ter havido" um caminho diferente a seguir naquela estrada, o remorso logo vem, as lágrimas logo chegam, a dor no fundo do coração também aperta... mas sinceramente, tu tá errando é?? fala sério!!