quinta-feira, dezembro 06, 2007

alek.setIdade(21);

Em outros tempos, agora eu estaria chegando à maioridade.
Com o novo Código Civil, que já está ficando velho, estou na condição de maior de idade há 3 anos.
Mas chegar a esta idade ainda tenha algo de: "agora estou ficando adulta".

Como é fazer 21?
Bom, sou da teoria, extremamente válida, que não ficamos velhos ou amadurecemos de um dia para outro. Respondendo ao meu pai: "está ficando mais velha hoje, não é?" - "não, pai. Estou ficando mais velha sempre. O dia seis de dezembro é só o ápice".

Com diria Cazuza, "vida louca vida, vida breve...vida imensa..."
Vida que nem sempre te deixa no rumo que você pensou.
Vida que nem sempre te dá a chance de escolher.
Vida que nem sempre é do jeito que você quer.
Mas que também te traz presentes inesperados.
E pessoas com tesouros escondidos.
E força quando você achou que não tinha mais nenhuma.

O que mudei desde a última vez em que reuní amigos e ouvi "Parabéns pra você"? Hmm...um bocado de coisa. Li "Correndo com os Lobos - arquétipos e mitos da mulher selvagem", que agora está na lista dos livros marcantes da minha vida. Recomendo a todos. Com ele aprendi, ou melhor, estou aprendendo, a amar esta vida pulsante que corre pelas minhas veias, meus defeitos, meu corpo, minha natureza. Ganhei, pelo menos, 1 novo amigo. Aprendi, ainda que não totalmente, uma nova linguagem de programação. Mudei de emprego. Expandi meus horizontes com viagens e conversas filosóficas.
Hoje me sinto mais sólida do que há 1 ano atrás. Ainda não sei o que vou fazer definitivamente da vida. Este ano já cogitei ser psicóloga, programadora Java e missionária da ONU. Já quis fazer especialização em Engenharia de Software, graduação de Direito e voltar pra Jornalismo. Decisão? Nenhuma, por enquanto.
Então, você me pergunta: como você pode se sentir sólida se não sabe o que fazer da vida? Respondo: para mim, a questão mais importante é "quem sou eu". Partindo desta resposta, temos o resto. Fiz progressos razoáveis nesta área. Descobrindo o porquê de minhas atitudes, organizando meus conceitos e idéias, ganhando uma capacidade maior de análise das pessoas e das situações.
Percebi, por exemplo, que quando recebo notícias ruins, como foi o caso hoje à noite, não posso seguir simplesmente o conselho de deixar pra lá. Preciso gritar, reclamar, esbravejar, xingar, chorar, fazer o que for preciso. Até me sentir aliviada. Aí é a hora de respirar fundo e pensar em soluções, já com a alma de volta ao prumo.
Parece pouco? Acredite, não é. Saber reconhecer seus ciclos, seus padrões de atitude, seus defeitos, é uma das coisas mais difíceis que um ser humano pode fazer. Faz com que possamos decidir os conselhos que se aplicam a nós e quais não. Se alguém me vir contestando algo, pode simplesmente dizer "ela é 'reclamona', deveria parar com isso e simplesmente arranjar uma solução". E, se eu não me conhecesse, ficaria pensando se realmente não deveria mudar de atitude. Conhecendo-me, sei que este não é o caso.

Enfim, um novo ano começa (segundo alguns, o ano novo começa no aniversário). Desejo minha completa independência (por conseguinte, um trabalho melhor), a definição de um rumo claro na carreira e um amor, por que não? :-D
E vamos em frente, porque daqui pra os fogos do reveillón ainda tem muita água pra rolar.

2 comentários:

Sibaldinha disse...

Estou na torcida para a realização dos seus desejos.
Feliz todo dia!

=*

Leonardo disse...

simplesmente, muito, mas muito fofa!!

Que seu caminho seja repleto de pedras e desvios, muitas lágrimas e muitos risos... Erros não faltarão, e a graça é que você não aprenderá com eles, saberá superar qualquer adversidade, porque amanhã há de ser outro dia...

e que as estrelas deste pedacinho de mundo possam iluminar sua mente e traçar seus rumos a caminho da felicidade (afinal, não é isto que procuramos mesmo durante nossos poucos anos nesta Terra??)

Ah! Muita lucidez, muita criticidade, aliás, que você seja muito feliz, do jeito que só você sabe. Um beijo grande. Adorei todos os posts, fiz questão de deixar uma mensagenzinha em cada um deles, pra você lembrar de mim, viu?? é o Léo denovo enchendo a sua mochila... um bjo